/Sindicato pressiona e cobra empresas que descumprem Convenção

Sindicato pressiona e cobra empresas que descumprem Convenção

Companheiro(a): a toda ação existe reação. A todo prejuízo contra o trabalhador cabe cobrança dura e intensa. Não é de hoje que estamos de olho em empresas que descumprem a Convenção Coletiva e a própria CLT. É o caso da Kelson e Kelson, Vig Seg, Aurum, Ausion e WWS Segurança.

Nosso diretor Ronaldo de Souza explica que o Sindicato, várias vezes, convocou essas empresas para diálogo, mas não teve resposta. Ele relata: “Procuramos solução para os problemas identificados, porém não fomos atendidos pelos patrões. Então, nós convocamos comparecimento ao Ministério do Trabalho. Mas, mesmo assim, rejeitaram nosso pedido”.

Kelson e Kelson – Empresa presta serviço para o CDRS (Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável) e o SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Indaiatuba). São três ilegalidades: contraria a Convenção e a CLT com jornada de trabalho 4X2, que é irregular; não fornece assistência médica, conforme determina a Convenção; e não realiza exame admissional, exigido em lei.

O Sindicato adota as medidas cabíveis. “A Kelson e Kelson já foi notificada no Ministério Público do Trabalho”, conta Ronaldo.

Vig Seg – Presta serviço de vigilante brigadista de incêndio. Irregularidades: não fornece assistência médica como estabelece a Convenção; e não realiza pagamento de intrajornada, conforme o Artigo 71 da CLT.

Sexta (27), o Sindicato protocolou pedido de mesa redonda com a empresa no Ministério do Trabalho e aguarda agendamento.

Aurum – Presta serviço na ETC (Escola Técnica Estadual de Itapira). Empresa não fornece assistência médica aos trabalhadores.

Ausion – Atua na Fundacentro em Mogi Mirim. A Ausion Segurança também não fornece assistência médica.

O Jurídico do Sindivigilância Campinas ingressou com ação de cumprimento, na Justiça do Trabalho, contra as empresas Aurum e Ausion.

WWS Segurança – Não faz homologações no Sindicato, conforme a Convenção Coletiva garante. O diretor Ronaldo diz: “Já convocamos pra uma negociação no Sindicato, mas a empresa não compareceu. Por isso, entramos com ação de cumprimento junto ao Ministério Público”.

Dúvidas – Para mais informações sobre seus direitos, ligue (19) 3368 6661. Fale com Ronaldo ou outro diretor. Se for o caso, encaminhamos também ao nosso Jurídico.